Onda de calor: entenda como bloqueio atmosférico e jato polar fazem Brasil ferver neste começo de outubro


Outubro começou nesta última quinta-feira (1º) com uma forte onda de calor e sem previsão de chuva na região central do Brasil nesta semana, segundo o ClimaTempo.

Temperaturas de 40°C a 44°C poderão observadas nos estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Pará, Tocantins, Piauí, Maranhão, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

As capitais São Paulo, Cuiabá, Campo Grande e Curitiba podem estabelecer novos recordes históricos de calor, com previsão de 38ºC na capital paulista e 43ºC em Cuiabá. A temperatura deve chegar em 40ºC no Rio de Janeiro, 39ºC em Palmas, 33ºC em Belém e Manaus, 34ºC em Florianópolis e 30ºC em Salvador.

Massa de ar seco: bloqueio atmosférico

As pancadas de chuva, que costumam ficar mais presentes a partir deste mês, devem ocorrer de forma pontual na primeira metade de outubro. Isso acontece porque grandes massas de ar seco seguem pelo centro do país.

São os chamados bloqueios atmosféricos, que atuam como uma barreira impedindo o avanço de frentes frias ou outro sistema que consiga levar chuva para a região, como os "rios voadores", que carregam a umidade da região amazônica para o Centro-Oeste e Sudeste.

Este ano o bloqueio está ainda mais forte porque a temperatura na superfície do mar está mais alta que o normal, fazendo com que as frentes frias desviem para o alto mar.

Os efeitos deste sistema são sentidos especialmente no Centro-Oeste, Sudeste e no Sul do país.

Outro fator que contribui para as altas temperaturas é a corrente de ar conhecida como jato polar, que não passou tanto pelo Brasil durante o inverno e começa a passar cada vez mais ao sul, na região da Argentina e do Polo Sul.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário