Saúde quer programa financeiro de incentivo a alimentação saudável


O Ministério da Saúde planeja disponibilizar, ainda em 2020,  em caráter excepcional e temporário, um incentivo financeiro para qualificação das ações de promoção de alimentação saudável e da atividade física no país. A proposta é reforçar a atenção a pessoas com doenças crônicas não transmissíveis (DCNTs). Os valores a serem empregados no incentivo, no entanto, ainda estão em estudo.

Divulgada na quarta-feira (21), a Pesquisa Nacional de Saúde apontou que o excesso de peso e a obesidade se tornaram mais frequentes na população brasileira entre 2003 e 2019. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com o Ministério da Saúde.

A proporção de obesos na população brasileira aumentou de 12,2% para 26,8% entre 2003 e 2019. Em 2019,  30,2% das mulheres e 22,8% dos homens com 20 anos de vida ou mais tinham índice de massa corpórea (IMC) maior que 30 kg/m2, o que configura obesidade.

O excesso de peso, que se dá a partir do IMC 25 kg/m2, também se tornou mais frequente na sociedade brasileira, passando de 43,3% em 2003 para 61,7% em 2019, conclui o estudo.

Também está em fase de preparação, de acordo com a pasta da Saúde, o lançamento de ações de qualificação para profissionais de saúde, como o "Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas de sobrepeso e obesidade" e a publicação do “Instrutivo de Cuidado da Obesidade em Crianças e Adolescentes”.


*bahianotícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário