Black Friday: Materiais de construção devem puxar as vendas, aponta Fecomércio-BA


As vendas no varejo no mês de novembro, período quando ocorre a Black Friday, devem crescer 0,7% no contraponto anual, aponta projeções da Fecomércio-BA. No entanto, o desempenho deverá ser bem distinto entre as oito atividades analisadas no levantamento.

Quem deve puxar o desempenho positivo em novembro é o setor de materiais de construção com a alta de 34,7% na comparação com igual período de 2019. O setor da construção está aquecido e é possível confirmar nos dados de emprego, entre julho e setembro, que houve um saldo positivo, entre admitidos e demitidos, de 8,14 mil empregos no setor, o melhor desempenho setorial no estado, que representou 27% do total gerado de vagas formais no Estado.

Eletrodomésticos e eletrônicos

Setor mais relacionado à Black Friday, o de eletrodomésticos e eletrônicos, tende a ter elevação no faturamento em 16,5%, atingindo os 2,3 bilhões de reais. Outro destaque deve ser o setor de móveis & decoração com crescimento anual de 20,5%.

Supermercados e farmácias

Os supermercados e farmácias permanecem com resultado positivo por serem setores essenciais e de necessidade de compra frequente. O primeiro deve ter alta de 18,1% em novembro e o segundo, 5,8%. “A maior variação no setor de supermercados está relacionada ao aumento dos preços dos alimentos e bebidas que estão bem acima da inflação geral”, pontua o consultor econômico da Fecomércio-BA, Guilherme Dietze, responsável pela pesquisa.

Outras atividades

E no sentido oposto estão as atividades que já vem sofrendo desde o início da pandemia. Em novembro, a expectativa é de queda de 26,4% nas vendas de roupas e calçados, -24,5% para as vendas de veículos e -22,3% para o grupo Outras Atividades, mas que em grande parte está relacionado ao comércio de combustíveis para veículos.

“Desses, o mais conectado à Black Friday é o de vestuário. No entanto, a dificuldade de compra pela internet pela possibilidade de equívoco no tamanho termina impactando o crescimento de vendas”, afirma Dietze.

A Black Friday, que tem sua data marcada para o dia 27 de novembro, deverá ser um importante termômetro de vendas para o Natal. Algumas variáveis podem prejudicar o ritmo de consumo como a redução do auxílio emergencial, a menor injeção do 13º salário e a alta dos preços dos alimentos acima da variação geral.

Conforme analisa o economista, “no geral será um resultado extremamente positivo quando se analisado o que se previa no início da crise. Em maio, por exemplo, se projetava uma forte retração de 37% para o desempenho de novembro. Porém, a melhora nos últimos meses ainda não é suficiente para mudar o saldo negativo esperado para o ano de -7%”. 

Veja a tabela de projeções de vendas do varejo:


*varelanotícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário