Alemanha anuncia extensão do lockdown até 14 de fevereiro


O governo da Alemanha anunciou nesta última terça-feira (19) a extensão do lockdown em todo o país até o dia 14 de fevereiro. A medida é uma tentativa de conter os números ainda muito altos de casos e de mortes pelo novo coronavírus e o avanço de variantes mais infecciosas da doença.

"Agora é a hora de tomar medidas preventivas contra a ameaça desse vírus", disse a chanceler alemã Angela Merkel.

No início de janeiro, o a Alemanha já havia anunciado que as restrições durariam, pelo menos, até o fim do mês, mas o prazo agora foi ampliado.

Nova variante

Segundo a agência de notícias Reuters, apesar da pressão sobre os hospitais ter diminuído nos últimos dias, especialistas alemães estão preocupados com a possível disseminação de variantes mais infecciosas do vírus.

Merkel disse que todos os países da Europa devem fazer esforços semelhantes, caso contrário, a Alemanha pode considerar restringir a entrada de viajantes para evitar que cepas altamente transmissíveis sejam trazidas do exterior.

"A gente pode fazer o que quiser, mas não teremos sucesso se os outros trabalharem junto", disse Merkel. "Precisamos ter certeza de que todos ao nosso redor estão fazendo o mesmo. Caso contrário, teremos que considerar medidas como restrições à entrada."

Trabalho remoto

O governo também recomenda que empresas continuem a operar em regime de home office até o dia 15 de março. Merkel incentivou o trabalho remoto e disse que pessoas estão trabalhando em casa agora do que durante a primeira onda da pandemia na primavera.

"Mais pessoas deveriam trabalhar em casa para ajudar a reduzir ainda mais os contatos que podem espalhar o coronavírus", disse a chanceler.

As primeiras medidas para conter a segunda onda foram adotadas em novembro. Porém, logo no início de dezembro, o governo reconheceu que o "lockdown parcial" não foi suficiente para conter o vírus e anunciou um confinamento ainda mais rígido.

Apenas nas últimas 24 horas, 11,3 mil novos casos de Covid-19 foram confirmados no país, segundo o Instituto Robert Koch, referência alemã para doenças infecciosas. Também em um dia, 989 pessoas morreram por complicações do coronavírus.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário