Secretário de saúde do Amazonas vê possibilidade de crise de oxigênio no país


O Secretário de Saúde do estado do Amazonas, Marcellus Campêlo afirmou que o fornecimento de oxigênio para a região pode se normalizar até amanhã se as ações montadas para combater a crise sanitária correrem bem. Contudo, o secretário ainda prevê dias dificeis para o estado, com “muita pressão” sobre a rede de saúde. Campêlo diz ainda ter alertado outros estados sobre uma possível crise nacional no fornecimento de oxigênio. As declarações foram dadas em entrevista ao Estadão. 

Segundo o secretário, uma nova variante do coronavírus causou forte impacto no sistema de saúde do estado trazendo casos mais graves para os hospitais. "Pacientes chegam precisando muito de oxigênio. Pode haver crise em outras regiões do País, em regiões também isoladas. Se agravar o País todo junto, pode haver uma crise nacional. Os governantes precisam incentivar cuidados sanitários", disse ele.

Marcellus disse ainda, que a gravidade do cenário vivido pelo estado neste momento deve gerar maior colaboração da população, mas que o sistema de saúde ainda ficará sobrecarregado pelo menos até o final de janeiro.

"Acredito que com esse impacto agora haja um pouco mais de colaboração da população. Mas acho que ainda ficaremos pelo menos até o fim do mês, lá pelo dia 25 de janeiro, com muita pressão na rede em função desse novo pico", disse o secretário.


*metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário