Variante britânica pode dominar os casos de Covid-19 nos EUA em março, aponta estudo preliminar


Um novo estudo publicado na plataforma MedRxiv neste último domingo (7) mostrou que a variante britânica, conhecida como B.1.1.7, está se espalhando rapidamente nos Estados Unidos. Segundo os pesquisadores, a taxa de transmissão é de 30% a 40% maior do que as mutações mais comuns, dobrando a cada semana e meia. O estudo ainda não foi revisado por outros cientistas e nem publicado em revista científica.

Segundo os pesquisadores, a variante já foi encontrada em pelo menos 30 estados no mês de janeiro. “Os EUA estão em uma trajetória semelhante à de outros países onde a B.1.1.7 rapidamente se tornou a variante SARS-CoV-2 dominante. É quase certo que ela se torne a linhagem dominante em março de 2021”, diz o estudo.

Os cientistas analisaram meio milhão de testes de coronavírus e 212 genomas americanos.

Na Flórida, o estudo estima que mais de 4% dos casos agora são causados pela variante britânica. O número nacional pode ser de 1% ou 2%. Se o cálculo estiver correto, mil ou mais pessoas podem ser infectadas com a variante todos os dias.

Um outro estudo, divulgado em dezembro do ano passado, já apontava que a variante britânica pode ser até 70% mais contagiosa do que o vírus “original”. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a B.1.1.7 está circulando em 80 países.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário