Aumento de imposto sobre cilindros de oxigênio foi escolha do Ministério da Saúde


O aumento de imposto sobre cilindros de oxigênio às vésperas do colapso no sistema de saúde do Amazonas por causa do aumento de casos e mortes de Covid-19 partiu do Ministério da Saúde. A informação foi divulgada pelo jornal O Globo, com a análise de documentos internos obtidos por meio da Lei de Acesso a Informação (LAI) pela agência de dados Fiquem Sabendo.

Foi o Ministério da Saúde que excluiu os cilindros da lista de produtos que deveriam continuar a ter alíquota zero de importação.

Na quinta (25), o governo admitiu que um dos principais gargalos para atender hospitais do interior e da capital é justamente a falta de cilindros de oxigênio.

Após o colapso em Manaus, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) reverteu o aumento do imposto.

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário