Com disparos para cima, policiais tentam intimidar a imprensa durante cobertura na Barra

Foto : Fábio Gomes/Aratu

Um grupo de policiais militares tentou intimidar jornalistas e cinegrafistas que faziam a cobertura do incidente ocorrido hoje (28) no Farol da Barra, quando um soldado da PM invadiu a área e fez diversos disparos. Enquanto buscavam imagens ou mais detalhes da ocorrência, os profissionais de imprensa foram ameaçados militares e um dos repórteres chegou a ser empurrado por um policial.

Um dos agentes atirou para cima. A região, que fica próxima ao Farol da Barra, é conhecida por ter prédios altos na rua Marques de Leão. Houve manifestação de repúdio por parte dos parte dos repórteres durante a cobertura.

Após o ocorrido, a Polícia Militar, através do comandante-geral da PM, coronel Paulo Coutinho, emitiu uma nota sobre o ocorrido e lamentou o fato. "A corporação tomou conhecimento ainda de um vídeo do momento em que a imprensa acompanha o fato e é interpelada por um policial militar. A instituição ressalta o respeito à liberdade de expressão e ao trabalho dos jornalistas. O fato será devidamente apurado", disse o comunicado. 

A ameaça à imprensa também foi repudiada pelo Sindicato dos Jornalistas do Estado da Bahia (Sinjorba), que cobrou esclarecimentos. "Até mesmo para a PM é importante que os fatos sejam apurados e reportados com veracidade, apenas nos termos da verdade, garantindo à corporação o direito de exercer bem o seu papel de proteção da lei e dos cidadãos. Esperamos que o Coronel Coutinho, novo comandante da Polícia Militar,

tome providências enérgicas contra a violência e a intimidação a que foram submetidos os Jornalistas. Nós, Jornalistas, não somos os inimigos da Polícia Militar, mas trabalhadores exercendo o papel constitucional e profissional de informar à sociedade, que tem o seu direito inalienável à informação", informou o sindicato da categoria.

Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário