Chuvas torrenciais provocaram deslizamentos e equipes da gestão Gileno-Vavá adotaram providências emergenciais: MUNIZ FERREIRA


As fortes chuvas que se precipitaram em Muniz Ferreira, na madrugada de sábado para domingo, 11, causaram vários prejuízos, relacionados à residências, tanto na sede como em algumas das comunidades do município.  Situação que levou a administração municipal a adotar procedimentos  emergenciais. 

O Prefeito Gileno e seu vice Vavá fizeram um balanço dos estragos provocados pelas fortes chuvas que caíram nos últimos dois dias em Muniz Ferreira. Todavia, desde sexta-feira (dia anterior) quando começaram as primeiras precipitações chuvosas, o gestor municipal acionou todos os Secretários Municipais que ficassem atentos aos eventuais  problemas que o município poderia enfrentar, com relação à  chegada do temporal.

Partindo dessa premissa, foi montada uma equipe de apoio comandada pelo Vice-Prefeito  Vavá. Ele, contando como o apoio de Sátiro e dos Funcionários de diversas Secretarias iniciou as operações com o objetivo de  prevenir maiores danos a à comunidade local.   Ao receber relatos de possível deslizamento de terra na Rua da Senzala no Distrito do Onha, a equipe de apoio para lá se deslocou, providenciando, logo em seguida,  uma lona de proteção a fim de proteger a encosta.

Também foi constatado um alagamento na Rua Antônio Solano no Onha, devido a um entupimento em uma rede de esgoto, para onde foram deslocadas  máquinas e profissionais a fim solucionar o problema.

COMUNIDADE “POCA OVO”
Na Comunidade do Poca Ovo uma rede de esgoto transbordou causando prejuízos e transtorno aos Moradores e, na noite de sábado, o Prefeito visitou a comunidade e diante do que presenciou, designou a Equipe de Engenharia para realização de um estudo em caráter de urgência a fim de recuperar a Rede de Esgoto que foi construída às vésperas das eleições de 2020 e como se ver sem nenhum projeto

COMUNIDADE DO AMARAL

Também ouve deslizamento de terra no fundo de uma das casas da Família da Senhora Noberta no Amaral e também desmoronamento de terra em uma construção de uma nova casa no terreno da Senhora Darcy.

RUA CERQUEIRA CAMPOS

Outro registro de deslizamento de terra foi registrado na Rua Cerqueira Campos, no fundo da residência do Senhor Otoniel Figuereido, onde foi registrada, também, a situação de um muro que estava prestes a cair. 

Também foi registrado a situação de uma Família que está residindo em invasão às margens da BA-046, em frente ao acesso à sede do município. A Secretária Maria Mota e sua equipe, em visita ao local, constatou que não havia possibilidade nenhuma dessa família permanecer neste local e que buscaria uma solução para abrigar os Familiares. E assim o fez. 

DESMORONAMENTO NO AMARAL

Também na  comunidade do Amaral, foi constatado  o desmoronamento de um telhado de uma casa e, de imediato,  a equipe buscou solução com o procedimento de um aluguel emergencial a fim de abrigar o Senhor Lameu. 

INDÍCIO DE DESLIZAMENTO NA COMUNIDADE DO TITINGA

Também foram registrado pela Equipe, indício de deslizamento de terra na encosta da Rua São Paulo no Taitinga, onde foi possível observar que realmente a encosta coloca em risco de vida os Moradores e principalmente no fundo da casa da Senhora Floripes e também no fundo da Igreja Católica e da Escola Municipal

PREFEITO CHEGOU A COGITAR ESTADO DE EMERGÊNCIA

OPrefeito Gileno  convocou uma reunião extraordinária essa segunda-feira, às 8 horas, com todos os Secretários e Equipe de Engenharia a fim de traçar Plano de Ação Emergencial, buscando, com isso,  restabelecer a rotina normal da cidade de Muniz Ferreira. 

Diante de tantos acontecimentos, o chefe do executivo municipal chegou a cogitar (e não descarta) a possibilidade de decretar Estado de Emergência no município, para garantir a busca de recursos juntos aos órgãos públicos para recuperar os prejuízos causados à população do município. Imagens e informações, Vavá (radialista e vice-prefeito) -Ascom-M.Ferreira./Tvsaj

Nenhum comentário:

Postar um comentário