Cidades de 18 estados interrompem 2ª dose de CoronaVac por falta de imunizantes

Foto: César Ferreira

Cidades de ao menos 18 estados suspenderam a aplicação da 2ª dose da CoronaVac por falta de imunizante nesta semana.

  • AL - Arapiraca, Barra de São Miguel, Capela, Coqueiro Seco, Maceió, Marechal Deodoro, Paripueira, Penedo, Rio Largo e São Miguel dos Campos.
  • AP - Macapá e Santana.
  • BA - Vitória da Conquista e Ilhéus.
  • CE - Juazeiro do Norte.
  • ES - Afonso Cláudio, Águia Branca, Alegre, Alfredo Chaves, Anchieta, Apiacá, Aracruz, Barra de São Francisco, Bom Jesus do Norte, Brejetuba, Conceição do Castelo, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Fundão, Guarapari, Ibatiba, Iconha, Irupi, Iúna, Jeronimo Monteiro, Laranja da Terra, Mantenópolis, Marataízes, Marechal Floriano, Marilândia, Montanha, Pancas, Ponto Belo, Presidente Kennedy, Rio Bananal, Santa Maria de Jetibá, São José do Calçado, São Mateus, Venda Nova do Imigrante, Viana, Vila Pavão e Vila Valério.
  • MG - Visconde do Rio Branco.
  • MS - Campo Grande.
  • MT - Rondonópolis.
  • PB - Campina Grande.
  • PE - Igarassu, Ipojuca, Belo Jardim, Petrolina e Itapissuma.
  • PR - Antonina, Apucarana, Boa Ventura de São Roque, Cianorte, Cidade Gaúcha, Curitiba, Lindoeste, Matinhos, Piraquara, Santa Maria do Oeste, São José dos Pinhais e Tapira.
  • RJ - Casimiro de Abreu, Campos dos Goytacazes, Duas Barras, Duque de Caxias, Italva, Maricá, Mangaratiba, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Rio Bonito e Volta Redonda.
  • RN - Natal, Mossoró e Parnamirim.
  • RO - Porto Velho.
  • RS - Bagé, Canoas, Gravataí, Montenegro, Novo Hamburgo, Pelotas, Porto Alegre, Santa Maria, Santa Rosa, Santana do Livramento, Santo Ângelo, Sapiranga e Rio Grande.
  • SE - Aracaju.
  • SC - Barra Velha, Florianópolis, Gaspar, Itapoá, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, São José e Tijucas.
  • SP - Praia Grande, Cajamar e Vinhedo.

Nesta última quarta, 8 capitais estão com a aplicação da 2ª dose da CoronaVac suspensa: Aracaju, Campo Grande, Florianópolis, Macapá, Maceió, Natal, Porto Alegre e Porto Velho.

A CoronaVac é a principal vacina do programa nacional de imunização contra a Covid-19: corresponde a 76% das vacinas aplicados na população brasileira, segundo dados do Ministério da Saúde.

Antecipação de doses

O problema da falta de segunda dose nos estados acontece depois de o Ministério da Saúde, então dirigido pelo general Eduardo Pazuello, ter recomendado o uso de todo o estoque da vacina como primeira dose após "garantia da segurança das entregas por parte dos fornecedores". Depois, mudou a orientação ao recomendar reserva de imunizantes.

O atual ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, diz que vai regularizar a entrega desses imunizantes na semana que vem. "Não [houve atraso] por responsabilidade do Instituto Butantan, mas em função dos trâmites. Alguns paciente fizeram a [aplicação da] primeira dose e, quando chegou o tempo, a segunda dose não estava disponível. Assim que chegar, pode fazer. Esperamos que semana que vem sejam distribuídas doses para que haja regularização nacional dessa 2ª dose", afirma.

A CoronaVac tem de ser aplicada em um intervalo de até 28 dias. Se houver atraso, a orientação é tomar o quanto antes e o atraso, segundo o Ministério da Saúde, não compromete a imunização da população.

CoronaVac

Neste mês, entretanto, houve atraso na entrega da CoronaVac e de parte dos imunizantes por conta de problemas na entrega do princípio ativo.

Nesta quarta, o Butantan anunciou que antecipará para a próxima sexta (30) a entrega de 600 mil novas doses de CoronaVac ao Ministério da Saúde. A nova remessa faz parte do primeiro contrato firmado com o governo federal para o fornecimento de 46 milhões de doses, que inicialmente estava previsto para ser completamente entregue em 30 de abril.

Até o dia 19 de abril, o Butantan entregou ao Ministério da Saúde 41,4 milhões de doses da CoronaVac. Com o nove lote de sexta, serão 42 milhões.

Ainda faltam, portanto, 4 milhões de doses do primeiro contrato, que devem ser entregues em maio.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário