Após missa de 7º dia em Salvador, quadro com foto de Paulo Gustavo é colocado na capela que abriga restos mortais da Santa Dulce

 Foto: Divulgação/Osid

Uma foto emoldurada do ator e humorista Paulo Gustavo, que morreu de Covid-19 no dia 4 de maio, aos 42 anos, foi colocada na Capela das Relíquias, local que abriga os restos mortais da Santa Dulce dos Pobres. A capela fica no Santuário dedicado à Dulce dos Pobres, no Largo de Roma, em Salvador.

A imagem foi exposta nesta última segunda-feira (10), depois que profissionais, voluntários e religiosos das Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) participarem da missa de sétimo dia dedicada a Paulo Gustavo, que morreu após passar mais de 50 dias internado. Ele deixou o marido, Thales Bretas, e dois filhos pequenos, Gael e Romeu.

A foto de Paulo Gustavo ficará na capela até o dia 13 de maio (dia votivo a Santa Dulce). Devoto de Santa Dulce, Paulo Gustavo doou R$ 1,5 milhão para as Obras Sociais Irmã Dulce (OSID).

Entre as ações solidárias do ator, está a construção de uma unidade para atendimento às pessoas em tratamento oncológico nas Obras Sociais Irmã Dulce. Ele também doou à instituição recursos para a compra de Equipamentos de Proteção Individual e testes para diagnóstico da Covid-19, além de inúmeras outras iniciativas.

De acordo com a assessoria da OSID, no momento da missa, a imagem esteve no altar do santuário e, diante de uma imagem de Santa Dulce, foi recebida pelas pessoas que participavam da missa ao som da Oração de São Francisco, canção que o ator e humorista gostava desde criança.

A superintendente da OSID, Maria Rita Pontes, relembrou uma visita do ator à instituição, marcada por atos de generosidade e carisma.

'O dia mais divertido nas Obras foi o dia em que Paulo Gustavo esteve aqui na instituição. Ele era só alegria, transbordando um sentimento de paz para todos. Paulo Gustavo é um ser de luz, que irradiou nossas vidas com sua doçura, com sua felicidade, que espalhou pela instituição de Santa Dulce sementes de ternura e compaixão', disse.

O reitor do Santuário, Frei Giovanni Messias, que presidiu a missa ,disse que Paulo Gustavo era o artista da alegria e que ele 'empregou em nós o sorriso de Deus'.

'São Francisco, há 800 anos, era o poeta da alegria, o homem que cantava as alegrias do Senhor. E Santa Dulce, com o seu acordeon, alegrava a vida dos seus filhos, alegrava a vida dos pobres. Os artistas se encontram no céu', disse o frei.

Por causa da pandemia da Covid-19, a capacidade de público no santuário foi reduzida a 30%, obedecendo ainda todos os protocolos recomendados de distanciamento e uso de máscara e álcool em gel.


*G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário