Butantan reduz previsão de recebimento de insumo da CoronaVac

Foto: Governo do Estado de São Paulo.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse na manhã desta quinta-feira (6) que a previsão de recebimento de matéria-prima da CoronaVac foi reduzida e atribuiu o problema à "falta de alinhamento" do governo federal. O insumo vem da China, alvo de críticas de integrantes do governo Bolsonaro. A declaração foi dada na coletiva de imprensa que marcou a entrega de mais 1 milhão de doses da CoronaVac.

Na quarta (5), o Instituto Butantan disse ter solicitado à Sinovac 6 mil litros do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), para produzir aproximadamente 10 milhões de doses. Metade desse montante, porém, corresponde ao lote que deveria ter sido enviado em abril. Segundo Dimas, nos próximos dias chegarão apenas 2 mil litros do insumo.

"O insumo da principal vacina que vai no braço dos brasileiros vem da China". Segundo Dimas, surgiu um mal-estar "por sucessivas declarações desastrosas do ministro da economia, Paulo Guedes, e agora do presidente da república, Jair Bolsonaro".

Nesta quarta-feira (5), sem citar a China, o presidente Jair Bolsonaro insinuou que o novo coronavírus pode ter nascido "em laboratório".

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário