Brasil volta a registrar tendência de alta nas mortes por Covid após mais de 2 meses

Foto: Depositphotos

O Brasil registrou 2.335 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta última quinta-feira (17) 496.172 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 2.005 --voltando a bater a marca de 2 mil pelo segundo dia seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +19% e indica tendência de alta nos óbitos decorrentes do vírus.

É a primeira em mais de dois meses vez que essa análise indica alta nas mortes. De 12 de abril até quarta-feira (16), a curva apontou estabilidade ou queda; nos últimos 29 dias a tendência se manteve estável, ainda em um patamar elevado e alarmante.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta última quinta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.
Veja a sequência da última semana na média móvel:
  • Sexta (11): 1.912
  • Sábado (12): 1.961
  • Domingo (13): 1.997
  • Segunda (14): 1.970
  • Terça (15): 1.980
  • Quarta (16): 2.007
  • Quinta (17): 2.005
De 17 de março até 10 de maio, foram 55 dias seguidos com essa média acima de 2 mil. No pior momento desse período, a média chegou ao recorde de 3.125, no dia 12 de abril.

Nove estados aparecem com tendência de alta nas mortes: PR, AP, RR, GO, PB, RJ, SP, RS e MA.

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 17.629.714 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 85.861 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 69.840 novos diagnósticos por dia. Isso representa uma variação de +9% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de estabilidade nos diagnósticos.

Os casos seguem em estabilidade em patamar elevado há um longo período. Chegamos a 51 dias seguidos em que a curva de novos diagnósticos tem apontado ritmo estável, sem queda ou aumento considerável.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário