Ministério da Saúde decide suspender contrato com Covaxin

Foto: Divulgação

Diante das polêmicas e denúncias que cercam o contrato realizado pelo governo federal para compra de imunizantes Covaxin, vacina contra Covid-19  produzida na Índia, o acerto, intermediado pela farmacêutica brasileira Precisa Medicamentos, foi suspenso pelo Ministério da Saúde. A informação é da CNN.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou em declaração na tarde desta última terça-feira (29) não ser mais oportuno importar as vacinas neste momento. O governo federal havia assinado contrato em fevereiro, que previa a importação de 20 milhões de doses do imunizante, desenvolvido pela indiana Bharat Biotech. A importação do imunizante, no entanto, não foi concretizada diante de negativas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que não autorizou a importação..
A compra do imunizante passou a ser investigada depois de depoimento de Luis Ricardo Fernandes Miranda, servidor da área de importação do Ministério da Saúde, ao Ministério Público. No relato, o servidor aponta "pressão atípica" para acelerar os trâmites da Covaxin dentro da pasta. As suspeitas são de  superfaturamento na compra.

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário