Após Aneel ver alta de 16,6% em 2022, governo diz buscar medidas para reduzir reajustes

Foto: Beth Santos / Secretaria-Geral da PR

Após a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) indicar que as contas de luz podem subir em média 16,68% no próximo ano, principalmente por conta da crise hídrica, o Ministério de Minas e Energia informou nesta quinta-feira (19) que o governo busca medidas para que as tarifas não subam tanto em 2022.

O ministério reconhece que haverá pressão sobre as tarifas no próximo ano, causada pela crise hídrica, pelo fato de alguns contratos serem reajustados pelo IGPM, e pela alta do dólar.

O IGPM tem subido muito mais que o índice oficial de preços, o IPCA.
O ministério diz já haver medidas em elaboração, como a devolução aos consumidores de créditos tributários gerados por decisões judiciais que excluem o ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins na conta de luz.


*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário