Festas clandestinas são encerradas no interior da Bahia; Vitória da Conquista teve eventos com mais de 500 pessoas

Foto: Reprodução/TV Bahia

Ao menos seis festas clandestinas foram encerradas no interior da Bahia entre o sábado (31) e o domingo (1º). Em Vitória da Conquista, sudoeste do estado, três eventos chegaram a registrar presença de mais de 500 pessoas cada um, o que é proibido por decretos estaduais e municipais.

Essas festas foram na madrugada sábado. As pessoas estavam sem máscara, com som alto e fazendo consumo de bebidas alcoólicas. Quatro pessoas foram levadas ao Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep), para prestar esclarecimentos.

Os eventos aconteceram entre o loteamento Vila Elísia e o povoado da Estiva, zona rural de Vitória da Conquista. Equipamentos de som e de iluminação foram apreendidos. A operação contou com a participação da Polícia Militar, Secretaria de Serviços Públicos, Guarda Municipal e Vigilância Sanitária.
Na cidade de Eunápolis, sul da Bahia, uma festa de aniversário foi encerrada em uma casa no bairro Parque das Flores, próximo ao bairro Estrada da Colônia.

Quando a polícia, a Guarda Municipal e a Vigilância Sanitária chegaram no local, o aniversariante, um jovem de 22 anos, informou que cerca de 40 pessoas estavam no local. No entanto, quando os órgãos entraram para fiscalizar, a PM chegou a contar cerca de 320 pessoas na festa.

Esse foi o maior evento privado registrado em Eunápolis, durante a pandemia. Segundo a polícia, as pessoas estavam sem máscaras e consumindo bebidas alcoólicas. O aniversariante foi notificado.

Já em Feira de Santana, que fica a cerca de 100 km de Salvador, duas festas com ao menos 300 pessoas foram encerradas no sábado. A primeira delas, ainda na madrugada, teve participação de 100 pessoas, no bairro Asa Branca. O evento foi realizado em um espaço privado.

A segunda foi na noite do mesmo dia, em outra casa de eventos particular, na Avenida João Durval Carneiro, bairro Brasília. Por lá, cerca de 200 pessoas se aglomeraram e também foram dispersadas com ajuda da PM.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário