Mais de 30 meses após a tragédia da Vale, bombeiros encontram corpo em Brumadinho

Foto: Corpo de Bombeiros

Mais um corpo foi encontrado na tarde desta última terça-feira (24), em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, após 942 dias de buscas no local, onde a barragem de Córrego do Feijão se rompeu, em 2019. Ao todo, 270 pessoas morreram. Dez ainda estão desaparecidas.

A informação foi divulgada pelo Corpo de Bombeiros.

A vítima foi localizada na região do Remanso 1, do lado direito, próximo a comunidade de Córrego do Feijão. O corpo é aparentemente de um homem, sem confirmação de idade aparente, segundo bombeiros.

No dia 14 de janeiro, os bombeiros localizaram um fêmur. Desde então, a equipe de buscas não havia localizado outro fragmento ou corpo de vítima.
"Pelo estado de integridade de corpo há uma forte possibilidade de se tratar de uma nova identificação, o que evidentemente só poderá ser concluído depois do trabalho da perícia da Polícia Civil", disse bombeiros em nota.

O Corpo de Bombeiros explicou ainda que pelo local e pelos indícios que foram encontrados na área, acredita-se que estruturas de concreto que foram carregados pelo fluxo de rejeitos e que estavam próximas possam ter garantido uma maior integridade e preservação do corpo.

Bombeiros disseram ainda que o corpo já foi entregue à Polícia Civil, "bem como a comissão das famílias já foi devidamente notificada".

"As equipes dos bombeiros permanecerão durante toda a noite em operação, na busca de outros indícios que possam aprimorar ainda mais a eficácia do modelo preditivo e de cruzamento de dados empregado em Brumadinho, que foi novamente decisivo na localização de hoje".

O Governador Romeu Zema (NOVO) comentou em sua rede social o encontro de mais uma vítima do rompimento em Brumadinho (Veja abaixo).

"Com incansável trabalho, os bombeiros de Minas localizaram hoje, por volta das 17h, mais uma joia ainda desaparecida na tragédia em Brumadinho. É um alento para as famílias que aguardam a localização e identificação das vítimas do rompimento da mina Córrego do Feijão (...)".

Em conversa com G1, Natália de Oliveira, representante da Comissão dos Não Encontrados, disse que alguns familiares das vítimas desaparecidas foram até o local onde o corpo foi encontrado nesta terça-feira.

"Viemos aqui, assim que os bombeiros avisaram a gente. Cada ligação dos militares a gente fica com o coração explodindo, é muita expectativa desde janeiro 2019! A gente ainda não sabe quem é que foi encontrado, mas a emoção fica à mil em saber que alguma família terá seu ente querido identificado", disse Oliveira.

A Polícia Civil informou em nota que assim que comunicada do fato, deslocou equipe da perícia que "realiza os trabalhos técnicos-científicos no local".

"Assim que concluída a perícia, o corpo será removido ao Instituto Médico Legal André Roquette (IMLAR), em Belo Horizonte, onde os trabalhos necroscópicos se iniciarão imediatamente. A PCMG esclarece que todas as providências serão adotadas para identificação, cujo prazo não é possível prever neste momento".


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário