Saúde reduz o intervalo da 3ª dose para 5 meses e 158 milhões de pessoas já estão aptas para o reforço

Foto: Igor Santos/Secom

O ministro Marcelo Queiroga anunciou nesta  terça-feira (16) a redução do intervalo entre a segunda e a terceira dose da Covid-19. A partir de agora, o indíviduo poderá tomar a dose de reforço cinco meses após ter tomado a segunda dose, antes esse tempo era de seis meses. O Ministério da Saúde anunciou também que todos os maiores de 18 anos deverão completar o esquema vacinal com a terceira dose.

Com a decisão, a pasta estima que 158 milhões de pessoas estejam aptas a receber a dose de reforço no país. A aplicação da dose adicional estava liberada apenas para idosos, profissionais de saúde e imunossuprimidos. Queiroga justificou a ampliação do público-alvo para tomar a dose de reforço com base em "informações que temos advindas de estudo científicos e de efetividade."
Aqueles com alto grau de imossupressão se mantêm com intervalo mais curto para a aplicação da dose de reforço.

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário