Baiana viraliza ao entregar bolos de forma inusitada e fica conhecida como 'mulher da bacia na cabeça'; conheça

Foto: TV São Francisco

Com mais 76 mil seguidores em uma rede social, Nilmara Almeida viralizou na internet por um motivo um tanto quanto diferente: ao entregar bolos em uma bacia que é equilibrada na cabeça. A baiana de Queimadas, cidade no norte da Bahia, leva as delícias, devidamente confeitadas, aos clientes da região dirigindo uma moto.

Nilmara, de 36 anos, faz bolos desde 2011. No início, a produção era voltada apenas para a família. Com o tempo, os vizinhos se interessaram pelos doces e passaram a encomendar os bolos dela para festas e aniversários. Os bolos custam entre R$ 85 e R$ 200.

"O pessoal começou a ver meus bolos, o trabalho que eu faço e gostou. Essa foi a única maneira que encontrei para que os bolos chegassem até os clientes", contou.
Os clientes afirmam que os bolos chegam inteirinhos em suas casas - mesmo quando a entrega é a 12 km do local onde a dona de casa vive. Nilmara contou que a estrada que segue é sempre de terra porque as entregas são feitas apenas na área da zona rural da região, que não é asfaltada. A distância máxima que percorreu foi 14 km.

"Não consigo fazer entregas no centro de Queimadas, por exemplo, porque é 60 km da minha casa. Não teria como pegar estrada [asfaltada] por tanto tempo e com peso", explicou.

A confeiteira conta que sabe a importância do capacete e que é questionada pelos seguidores sobre o uso do equipamento de segurança.

"Se eu colocar o capacete eu não tenho como equilibrar a bacia, entende? Eu não tenho outro meio de transporte, só tenho essa forma de fazer com que meus bolos cheguem na casa das pessoas e agradeço a Deus por isso. Se eu tivesse um carro, claro que eu ia preferir entregar de carro", contou.

Com ajuda da filha de oito anos, Nilmara produz, decora, embala e depois entrega os bolos. O mais pesado que lembra ter feito, preparado em outubro deste ano, pesou quase quatro quilos, e ela percorreu 12 km na estrada de terra para chegar ao povoado de Pedras Altas, em Capim Grosso, cidade vizinha a Queimadas.

Toda a rotina é publicada nas redes sociais, onde ela recebe mensagens de carinho de pessoas de diversas regiões do Brasil.

"Gente de vários lugares me mandaram mensagens. Algumas pessoas dizem que eu as incentivei, que estavam quase parando, mas viram minha dificuldade e se sentiram motivadas", contou.
Depois de virar celebridade na cidade, o sonho de Nilmara agora é abrir uma confeitaria no centro de Queimadas, onde poderá produzir e vender seus bolos.

Leis de trânsito
Para equilibrar a bacia com bolo na cabeça, a baiana não utiliza capacete. Apesar de ser comum em diversas cidades do interior da Bahia, a prática não é permitida pelas leis de trânsito.

Conforme relembrou Amilton Ferreira da Silva , diretor de trânsito de Capim Grosso, cidade que fica a cerca de 80 km de Queimadas, e onde Nilmara também faz algumas entregas na zona rural, o não uso de capacete é considerada infração gravíssima.

A multa é de R$ 293 e cinco pontos na carteira nacional de trânsito (CNH).

Além disso, Nilmara precisaria utilizar calça e sapatos fechados para pilotar a motocicleta. Confira as normas:
  • Ter mais de 18 anos;
  • Ter CNH tipo A;
  • Usar capacete com viseira;
  • Usar calça e sapatos fechados.
*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário