Barco que naufragou na Bahia teria sido invadido por passageiros, diz advogado de piloto

 Foto: Reprodução/TV Bahia

A defesa do piloto do barco que naufragou e deixou oito mortos e seis feridos no domingo (21), se apresentou nesta terça-feira (23), na Polícia Civil, e alegou que a embarcação foi invadida por pessoas que estavam no local.

"Pessoas adentraram a embarcação e constrangeram ele a vir com elas no barco, não tinham outra alternativa, não tinha mais transporte naquele momento", afirmou o advogado.

O advogado Elder Costa confirmou que o piloto do barco, identificado como Fábio Freitas, não possui habilitação para conduzir a embarcação.

Segundo ele, a embarcação é de passeio e foi usado por Fábio para buscar a filha dele em uma festa que acontecia na Ilha de Maria Guarda, quando outras pessoas entraram à força no barco.
Ele [piloto] pediu pra que as pessoas se retirassem, elas insistiram, sentaram, não quiseram se levantar. Essas mesmas pessoas que adentram de maneira forçada na embarcação dele entraram em conflito entre si, o que causou um pânico dentro do barco e naufragou. Infelizmente causou no resultado morte", afirmou Elder Costa.

O advogado ainda afirmou que Fábio Freitas não realizava transporte irregular e negou a informação que o barco teria ficado com excesso de passageiros. "As pessoas vieram sentadas. Inclusive temos testemunhas", disse o advogado.

O piloto do barco perdeu no naufrágio a filha, Flaviane, de 29 anos, e o neto, Jonathas Miguel, de 7. Eles foram sepultados na segunda-feira (22). O pai do garoto sobreviveu e a esposa do dono do barco e um neto dela, de 15 anos, também se salvaram.

Buscas encerradas
A Marinha do Brasil, por meio do Comando do 2° Distrito Naval, informou que encerrou nesta terça-feira, as buscas pelos sobreviventes do naufrágio.

As buscas foram finalizadas porque não há mais indícios de desaparecidos. Os corpos da sétima e oitava vítimas do naufrágio foram encontrados por pescadores, nesta terça-feira, próximo à Ilha de Maria Guarda, também na região metropolitana.

Elas foram identificadas como Alicy Maria Souza dos Santos, de 6 anos, e Vandersson Epifânio Souza de Queiroz, de 42. Os corpos foram encontrados próximo à Ilha de Maria Guarda, onde aconteceu a festa em que os passageiros estavam.

De acordo com a Marinha, participaram das buscas 39 militares da MB, um Aviso de Patrulha e uma Lancha de Inspeção Naval Blindada do Grupamento de Patrulha Naval do Leste, três Lanchas de Inspeção Naval e uma Moto Aquática da Capitania dos Portos da Bahia (CPBA), que coordenou as ações de Busca e Salvamento.

Além disso, também participaram das buscas uma embarcação da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (COPPA-PMBA) e uma aeronave do Grupamento Aéreo (GRAER).

O órgão informou que instaurado um Inquérito sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN) para apurar as causas e circunstâncias do acidente, com prazo de encerramento em até noventa dias.

Concluído o procedimento, os documentos serão encaminhados ao Tribunal Marítimo.

A Polícia Civil investiga se houve excesso de passageiros na embarcação. Ainda não há informações sobre quantas pessoas estavam, de fato, na embarcação, que comportava 10 passageiros e um tripulante.

A Marinha do Brasil tinha informado que a embarcação fazia transporte irregular de passageiros. O veículo "Gostosão FF" é inscrito na classe "saveiro", para uso exclusivo em atividades de esporte ou recreio. Isso significa que o barco não era habilitado para o uso comercial.

A embarcação fazia o trajeto da Ilha Maria Guarda para o município, que fica em uma região turística que registra alto movimento neste período do ano. O naufrágio aconteceu por volta das 22h, quando os passageiros voltavam de uma festa.

Nesta terça, o prefeito da cidade, Dailton Filho, contou que ainda não decidiu se o Madre Verão, que terminaria durante o próximo final de semana será cancelado.

"Confesso que nesse momento não estou preocupado com evento, estou preocupado com meu povo, que está sofrendo, passando por esse momento delicado. Estou preocupado com os sobreviventes, com as famílias, os amigos, minha comunidade, porque essa tragédia feriu nosso coração", afirmou.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário