Em reunião interministerial, Brasil avalia novas restrições de fronteira

Foto: Reprodução / Aero Magazine

Uma reunião do gabinete interministerial, responsável por discutir novas restrições de fronteira, está se reunindo nesta última terça-feira (30). O grupo coordenado pela Casa Civil, é composto pelos ministérios da Saúde, da Justiça e Segurança Pública e da Infraestrutura, além da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Conforme divulgou o portal Metrópoles, parceiro do Bahia Notícias, a reunião irá avaliar se o Brasil deve ou não incluir novos países na lista de restrições e fechamento de fronteiras. As medidas buscam conter o avanço da variante Ômicron da Covid-19, identificada pela primeira vez na África do Sul. 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou nesta última terça-feira (30) que não há intenção de restringir o acesso de passageiros europeus, onde a variante já foi identificada. “Vamos analisar caso a caso e essa questão será discutida lá, depois nós teremos uma informação mais concreta para a população brasileira”, disse.Ainda de acordo com o ministro, Angola solicitou que os passageiros vindos do país não sejam impedidos: “Eles colocam em consideração a questão epidemiológica do país deles, que eles têm sido rigorosos em relação à questão da testagem”.

Até o momento, o Brasil já fechou as fronteiras para seis países africanos: África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue. A medida foi anunciada na última sexta-feira (26) pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Marcelo Queiroga destacou a importância da testagem, além da exigência de vacinação. “O passaporte da vacina não é salvo-conduto que assegura que os indivíduos não transmitam o vírus”, argumentou. “É um pacote de critérios que têm que ser avaliados. Potencializar a questão da testagem, reforçar a testagem é importante”.


*Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário