Petróleo é negociado acima de US$ 100 em meio a alertas de escassez de oferta

 Foto: Reuters

Os preços do petróleo operam em alta de mais de 4% nesta quinta-feira, após a Agência Internacional de Energia (AIE) ter alertado para o risco de escassez de oferta e diante da falta de progresso nas negociações entre Rússia e Ucrânia para colocar um fim à guerra.

Perto das 8h (horário de Brasília), o barril do tipo Brent tinha alta de 4,68%, cotado e US$ 102,61, enquanto que o barril WTI subia 4,48%, a US$ 99,30.

A IEA avaliou que 3 milhões de barris por dia (bpd) de petróleo e derivados russos podem não chegar ao mercado a partir de abril em razão das sanções contra a Rússia. O país é o maior exportador mundial de petróleo e de produtos refinados para o restante do mundo.

Com a guerra na Ucrânia, os preços atingiram uma alta de 14 anos em 7 de março, com o Brent chegando a US$ 139,13. Mas desde então caiu mais de US$ 35 o barril.
Na quarta-feira , o Brent foi negociado em um intervalo de US$ 6 e fechou a US$ 98,02, queda de US$ 1,89 dólar o barril ou 1,9%. O petróleo dos EUA (WTI) fechou com recuo de US$ 1,40, ou 1,5%, a US$ 95,04 o barril.

A Rússia repudiou os comentários do presidente dos EUA, Joe Biden, após este ter rotulado o presidente russo de criminoso de guerra, apesar do Kremlin dizer que está a colocar uma "energia colossal", nas conversações de paz.

Bolsas
As bolsas europeias abriram em alta, mas passaram a operar em queda.

Perto da 7h15, a Bolsa de Frankfurt caía 0,97%, a de Paris perdia 0,47% e a de Madrid recuava 0,38%. Já a Bolsa de Londres operava em queda de 0,17%.

Na China, o índice de Xangai fechou em alta de 1,4%, ampliando o salto da sessão anterior depois que o primeiro-ministro do país garantiu aos mercados estabilidade e suporte, enquanto as expectativas de avanço nas discussões de um cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia também impulsionavam o sentimento.

Em Hong Kong, o índice Hang Seng subiu 7,04%. No Japão, a Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em alta de 3,46%.

Os índices de Wall Street fecharam em alta na véspera, diante da confirmação do tão esperado início de um aperto monetário nos Estados Unidos. O Federal Reserve aumentou as taxas de juros em 0,25 ponto percentual, para o patamar de 0,25% a 0,50%.


*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário