PM recupera 13 aves silvestres e destrói 14 fornos e sacos de carvão ilegais na Chapada Diamantina

Foto: Divulgação/SSP

Quatorze fornos e sacos de carvão foram destruídos, além de 13 aves silvestres e oito gaiolas apreendidas por equipes da Companhia Independente de Polícia e Proteção Ambiental (Cippa) de Lençóis e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), durante operação de combate a retirada ilegal de madeira nativa para a produção proibida de carvão. 

Na ação, que ocorreu nos municípios de Wagner e Itaitê, na Chapada Diamantina, e foi encerrada na sexta-feira (18), ninguém foi preso.

Após as informações sobre irregularidades, povoados da zona rural de Wagner foram vistoriados, desde a terça-feira (15), pelos PMs e técnicos do instituto. Foram encontrados locais de destruição, após a extração de madeiras nativa do Cerrado e Mata Atlântica, além das fornalhas em funcionamento. 
“Para esse tipo de atividade é necessário regularização do Inema e do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), o que não foi apresentado nas ocorrências. Os técnicos então nos orientaram a destruir todos esses materiais”, contou o tenente Alisson Soares, lotado na unidade ambiental. 

Em uma das ações, mais de 100 sacos de carvão prontos para a venda foram encontrados e, pela dificuldade de deslocamento em região de mata fechada, também foram destruídos. 

Ao mesmo tempo em que os policiais e técnicos vistoriavam a cidade, outras guarnições atuavam com a operação no município de Itaitê. Por lá, os policiais destruíram outro forno em atividade, na quinta-feira (17), na região da Serra da Chapadinha, às margens do Parque Nacional da Chapada Diamantina.

Aves apreendidas

Quatro Canários da Terra, três Cardeais, um Pintassilgo e a mesma quantidade de Coleira, Papa Capim, Azulão, Pássaro Preto e Cancan foram apreendidos em um assentamento conhecido como ‘Piabas’, na zona rural de Wagner, durante a mesma ação. 

“Os animais silvestres eram mantidos em cativeiro por um homem, em oito gaiolas. De forma voluntária, a esposa dele nos entregou as aves, que ficaram sob responsabilidade dos técnicos do Inema e, posteriormente, serão soltas em ambiente adequado”, concluiu o oficial.


*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário