Rui descarta flexibilizar uso de máscaras na Bahia, mas considera pensar no assunto no próximo mês

Foto: Divulgação/GOVBA

O governador Rui Costa (PT) disse considerar ainda "precipitada" a retirada da obrigatoriedade do uso de máscaras na Bahia. Segundo ele, flexibilizações continuarão a ser feitas no estado, mas os indicadores da pandemia ainda não deixa a administração segura para autorizar a medida. A declaração foi feita nesta última terça-feira (8), durante a inauguração da Casa da Mulher e do Centro de Ensino e Pesquisa no Monte Serrat, em Salvador.

"Em novembro e dezembro [do ano passado], várias cidades e estados anunciaram a retirada da máscara e quase que instantaneamente anunciaram o retorno da máscara. Ao longo do tempo, a gente tem sido extremamente cauteloso na tomada de decisões e com isso, graças a Deus, pudemos colher um resultado objetivo, prático, que é [sermos] o segundo estado do Brasil com o menor número de mortes. Nós nos orgulhamos disso e nós vamos manter essa trajetória de cautela", disse.
Apesar disso, o gestor divulgou uma previsão para avaliar a retirada de máscaras. "Vamos aguardar um pouco. Se os números tiverem uma queda acelerada até o final do mês, no inico de abril a gente pensa no assunto", afirmou. "Acho que um pouco de cautela, alguns dias a mais, [...] não faz mal a ninguém, principalmente quando se trata de doença que mata e é altamente contagiosa", cravou.

O gestor tem aumentado gradualmente o limite máximo de público em shows e eventos na Bahia, que atualmente é de 3 mil participantes, e pode aumentar para 5 mil pessoas a partir desta semana. Segundo ele, apesar do receio em liberar as máscaras, medidas como esta serão ainda mais ampliadas. "No dia de hoje, nós estamos com 4 mil casos ativos confirmados, estamos com 202 pacientes na UTI, então vamos, ao longo da semana, se esse número for caindo, continuar a flexbilização, monitorar até o final do mês".

O prefeito de Salvador Bruno Reis também se pronunciou sobre o assunto e disse, em entrevista coletiva nesta terça-feira (8), que a decisão da liberação de máscaras depende do parecer do governo do estado e não há, neste momento, nenhuma decisão formada para a capital.

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário