Rússia divulga lista de países considerados 'não-amigáveis'

Foto: Reprodução/Twitter: @KremlinRussia

O governo da Rússia montou uma lista nesta segunda-feira (7) com países que tomaram atitudes contra o Kremlin, empresas e cidadãos, e são considerados hostis. O Brasil não integra as nações listadas.

Entre os países estão: Albânia, Andorra, Austrália, Canadá, Coreia do Sul, Estados Unidos, Islândia, Japão, Liechtenstein, Macedônia do Norte, Micronésia, Mônaco, Montenegro, Noruega, Nova Zelândia, Reino Unido, San Marino, Singapura, Suíça, Taiwan e União Europeia.

A lista segue um decreto presidencial de sábado (5), que permite que os russos paguem débitos aos estrangeiros a países “hostis” em rublo, moeda russa que perdeu 45% do seu valor desde janeiro deste ano.

Esta é uma das primeiras respostas de Vladimir Putin, às sanções tomadas pelos países do Ocidente desde quando a Ucrânia foi invadida, no dia 24 de fevereiro.

Entenda o conflito entre Rússia e Ucrânia
A tensão entre os dois países é antiga. No fim de 2013, protestos populares fizeram com que o então presidente ucraniano Víktor Yanukóvytch, apoiado por Moscou, renunciasse. Na época, os ucranianos debatiam uma possível adesão à União Europeia.

Em 2014, a Rússia invadiu a Ucrânia e anexou o território da Crimeia, incentivando separatistas pró-Rússia desde então. Em 2015, foram firmados os Acordos de Minsk que decretavam um cessar-fogo, entre outros pontos, e proibiam Moscou de apoiar os rebeldes e Kiev deveria reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias autônomas.

Apesar disso, o conflito continuou, o cessar-fogo não foi respeitado e cerca de 10 mil pessoas morreram desde então.

Em novembro de 2021, a Ucrânia se movimentou para fazer parte da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), a aliança militar criada após a Segunda Guerra Mundial. A Rússia se sentiu ameaçada e iniciou exercícios militares na fronteira com o país vizinho, exigindo que a nação nunca se torne um membro.

A tensão se estendeu e se agravou após o presidente russo reconhecer Donetsk e Luhansk como províncias independentes, causando sanções por parte do Ocidente e a invasão de quinta-feira (24).

*RedeTv

Nenhum comentário:

Postar um comentário