Jovem pede hambúrguer e lanche chega só oito dias depois: 'Seria engraçado se não fosse verdade'

Foto: Reprodução

Um pedido de hambúrguer e batatas fritas feito no último dia 28 de março só foi entregue 8 dias depois, em Horizonte, na Região Metropolitana de Fortaleza. O caso aconteceu com a jovem Kessia Gomes, que trabalha como escrevente em um cartório do município.

A jovem disse que só depois de oito dias conseguiu resposta do estabelecimento sobre o atraso. “Eles simplesmente pediram desculpas, como se fosse um atraso de duas horas; falaram que iam entregar, mas antes eu perguntei se ainda ia receber [o pedido]”, disse Kessia.

“Seria engraçado se não fosse verdade uma coisa dessa”, reforça a jovem.

O iFood informou que, em casos de demora na entrega ou na ausência de comunicação com o restaurante, o cliente pode solicitar o cancelamento do pedido pelo próprio aplicativo, clicando no pedido não entregue e depois em “Ajuda”.
Kessia lembra do momento que decidiu solicitar a comida. “Foi no horário de trabalho, para eu lanchar. Eu tinha esperança de chegar antes das 17h. Eu pedi por volta de 15h”, explica a jovem.

Após certo tempo, Kessia fala que começou a estranhar a demora. “Eu fiquei comentando com as minhas amigas que achava que não ia chegar, e ia precisar ligar para lá. Deu 17h, aí nada do pedido chegar, e eu ligava, mas ninguém atendia. Eu já tinha perdido as esperanças”, comenta a jovem, que optou por cozinhar em casa, no dia, já que o pedido não chegou.

Ela fala que não solicitou o cancelamento do pedido porque o aplicativo informava que ele havia saído para a entrega. “Eu mandei mensagem falando ‘tem certeza que saiu para a entrega?’. No mesmo dia à noite, eu decidi mandar mensagem pelo Instagram, porque não respondia no iFood e nem atendia a ligação”, disse Kessia.

Contudo, o estabelecimento só retornou às mensagens de Kessia nas redes sociais, 8 dias depois. “Eles responderam ontem [terça-feira] dando a desculpa que tinham perdido o acesso à conta do Instagram e conseguiram entrar ontem”, comenta a escrevente.

Ela disse que conseguiu contato com o estabelecimento por volta de 14h e eles informaram que enviariam o pedido. Contudo, eles só realizaram a entrega de fato às 21h, quando ela já estava em casa.

“Aí chega a parte ruim, porque eu não consegui comer. Não veio em boa qualidade, aí eu achei que poderia ‘me dar um negócio ruim’”, declara a jovem, enquanto dá risadas, mostrando que leva com bom humor a situação incomum.

Ela disse ainda que não ia buscar o reembolso do dinheiro, porque a compra foi feita por cartão de crédito, então achou que o processo de estorno seria muito burocrático.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário