Caso Madeleine: entenda o desaparecimento que intriga o mundo há 15 anos

Foto: Jornal Nacional

Há 15 anos o desaparecimento da menina britânica Madeleine McCann intriga o mundo. Ela, que passava férias com a família em Portugal, desapareceu no dia 3 de maio de 2007, pouco antes do seu quarto aniversário, na Praia da Luz, um destino turístico no sul do país europeu.

Até hoje, as circunstâncias exatas do desaparecimento seguem vagas, e diferentes hipóteses para seu sumiço já foram investigadas.

A menina estava no quarto do hotel com seus irmãos, gêmeos na época com 2 anos, quando desapareceu. No momento de seu sumiço, seus pais, os médicos Kate e Gerry McCann, haviam saído para jantar num restaurante perto do hotel.

Em meados de abril, um homem foi acusado na Alemanha, a pedido da Justiça portuguesa, pelo desaparecimento de Madeleine. As autoridades alemãs afirmam, desde 2020, que têm provas do homicídio de Madeleine, e apontam como principal suspeito um pedófilo reincidente alemão.
Comoção internacional
O desaparecimento de Madeleine deu origem a uma campanha internacional para tentar encontrá-la. As fotos da menina rodam o mundo desde 2007.

Houve apelos por informações em diversos países e pessoas famosas, como os jogadores Cristiano Ronaldo e David Beckham, fizeram apelos na televisão para que a menina fosse encontrada.

Muitas pessoas foram ouvidas pela polícia portuguesa — os pais da menina, funcionários do hotel, outros frequentadores. Cães farejadores também participaram das buscas. A polícia pegou peças de roupa da menina e foi possível descobrir que Madeleine chegou a passar por outro apartamento do balneário antes de desaparecer.

Investigações
A polícia portuguesa encerrou o caso em 2008, 14 meses após o seu registro. Mas, diante da comoção mundial persistente (os pais de Madeleine chegaram a fazer um apelo até o papa por mais investigações), o caso foi reaberto cinco anos depois.

Então, em julho de 2013, a Scotland Yard abriu sua própria investigação sobre o desaparecimento de Maddie. Os investigadores afirmavam que era, sim, possível que a menina estivesse viva.

Em 2018, a investigação policial do desaparecimento de Madeleine recebeu um novo financiamento público no valor de 150 mil libras.

Suspeito alemão
O maior avanço nas investigações aconteceu em junho de 2020, quando a promotoria de Braunschweig, na Alemanha, apontou um homem de 43 anos, que já estava preso por outra acusação, como responsável pelo desaparecimento de Madeleine.

Na época do crime, o homem vivia a poucos quilômetros do hotel da Praia da Luz onde a menina desapareceu. Segundo autoridades da Alemanha, a menina está morta.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário